quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Me tornei seletiva com quem ando, e isso se chama AMOR PRÓPRIO




Percebi com o passar dos anos que não são todas as pessoas que me fazem bem, antes de falar do amor próprio quero trazer a reflexão que existem pessoas e “pessoas”.
Existem pessoas que para se sentir “feliz” tem que rebaixar o outro, ou pessoas que simplesmente gostam de impor a opinião delas como “únicas aceitáveis”. Pessoas que gostam de mentir, pessoas que gostam de se fazer de “coitadas”, amigos que achamos que são para sempre, mas porque conhecemos pessoas novas, amigos novos não quiseram mais falar com a gente, porque desejava que eu fossemos exclusivos na amizade deles. Pessoas que dividem ou somam.

Sabendo que não posso mudar o outro, apenas a mim mesma, percebi que:
A sociedade apoia uma separação por causa de uma traição, afinal precisamos ter amor próprio, não é mesmo?

Mas quando um tio, ou um primo fala mal de você, te difama, não te ajuda em nada e até torce pela sua derrota, somos obrigados a andar junto?
Por causa do que? Vinculo de sangue? Cultura? Porque o seu pai mandou?
Sociedade pode ser muito hipócrita (as vezes).
A regra deveria ser a mesma para os dois casos?
Acredito em escolhas leves. Quando a escolha é leve, a sua alma esta mostrando que esta no caminho certo de sua paz.
Se a pessoa quiser falar com o ex que a traiu, e isso fizer sentido para a pessoa, não é algo pesado, porque a sociedade impõe que deve se afastar?
Ou seja, exclua quem te trás peso, e fique com o que te faz leve (isso é amor próprio).
Claro que esses foram apenas alguns exemplos. Amplie isso para toda a sua vida e as pessoas que te cercam!

Entendam que descobrir o que é amor próprio se trata muito mais do selecionar pessoas que você queira conviver, mas é um grande passo!

Se ame a ponto de deixar que apontem, que falem, que tentem te diminuir por não aceitar o que “eles” querem impor para você. Deixem que falem, afinal até papagaio fala.

Quem escolhe se as palavras deles irão te afetar é você! Se ame a ponto de tirar o maior poder que eles possam ter sobre você: SUA ATENÇÃO!

Desejo que suas escolhas, mesmo com a cara feia dos outros, sejam cheias de sorrisos. Não de ironia, mas porque você é leve o suficiente para sorrir com a vida. Saiba que para viver a sua vida BASTA VOCÊ MESMO!

Deborah Surian

Um comentário: